19/08/2014

Postado por PIBID Sociologia UFBA
| terça-feira, agosto 19, 2014
Fruto de um plano de sequência didática, a intervenção  foi realizada no dia 07 de Agosto de 2014 no Colégio Estadual Mestre Paulo dos Anjos,com os bolsistas Priscila Menezes e  Zozimo Ferreira, essa primeira parte do  plano de ação   teve como abordagem geral : “ Trabalho análogo ao escravo” onde o  ponto de partida foi  o caso das “ Empregadas domésticas”.
A aula foi realizada no auditório, isso facilitou a atividade já que questões como acústica e espaço estavam propícios, já as questões relacionadas a acessibilidade ao bairro continuamos a enfrentar problemas com o trânsito. Por se tratar do turno noturno enfrentamos o horário de pico nos engarrafamentos, outra questão é o pouco tempo para a intervenção ainda sofre o agravante  por se tratar dos ultimos horários onde tudo que os alunos querem é ir pra casa, apesar disso tivemos a participação de 22 alunos na atividade.


De modo geral, obtivemos êxito em nossa abordagem já que todos de forma integral ou parcial participaram se envolveram e problematizaram em relação ao tema.  A atividade foi subdividida em quatro partes:

  1. Leitura do texto: A Crise das babás , que foi distribuído uma semana antes pelo professor Thiago Neri, fazendo a leitura e o discussão do texto. http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2012/05/na-caca-babas-maes-de-sp-usam-psicologa-head-hunter-e-facebook.html


  1. Exibição do recote de um vídeo de uma serie de TV, “Suburbia”, no contexto da história a jovem  “Conceição” tinha acabado de fugir de uma casa de  acolhimento ao menor do Rio de Janeiro, e após se esconder atrás de um caro foi atropelada por uma postulante ao doutorado da UFRJ, que logo presta socorro a menor e no fim do tratamento leva a mesma a sua residência para se recuperar.  Contudo ao decorrer do tempo a jovem foi ficando na casa, cuidando dos dois filhos da doutoranda em troca de moradia e comida, contudo a mesma não tinha noção da exploração que ali estava sofrendo. Como agravante após o termino da sua tese de doutorado a sua patroa foi viajar com seus filhos e deu folga a jovem Conceição no fim de semana mais com a condição que a jovem retornasse na segunda feira para fazer uma faxina no apartamento, no retorno da jovem  no dia marcado a mesma acreditava que não iria encontrar ninguém, entretanto o namorado da sua patroa resolveu não viajar e aproveitou da situação para abusar sexualmente da jovem Conceição e no fim da história fazendo com que a jovem fosse demitida posta para fora da casa sem direito nenhum, pois a mesma não tinha carteira assinada e não recebia salário. http://gshow.globo.com/programas/suburbia/


  1.  Dividimos a turma em quatro grupos, em seguida distribuímos um roteiro com perguntas para dar uma melhor condução ao debate. Com as seguintes perguntas:
- O que eles acharam do vídeo?
- Se eles conheciam alguma pessoa ou ate mesmo eles passaram por uma situação próxima a do vídeo?
- Fazendo um paralelo com o texto trabalhado em sala aquilo que foi mostrado no vídeo era um tipo de exploração?
- Se os personagens do vídeo tinham consciência dos seus papeis de explorador e explorado, que para a empregadora ele estava ajudando a menina de rua dando casa e comida em troca de uma ajudinha em casa.


  1. Após cerca de 5 minutos de discussão, abrimos o debate, diversas questões foram surgindo entre elas como: variáveis econômicas, raciais, exploração, dominação e o fator educacional.


O que podemos concluir é que o tema trabalho nos dá distintas dimensões para ser trabalhada em sala de aula e que a questão do Trabalho análogo ao escravo, como foi colocado por um aluno aparece como um” tipo de escravidão moderna”, sendo esta  uma variável importante, sendo  que a exploração apresentada no vídeo não ocorre nos dias de hoje por conta da rápida circulação das informações e a busca por melhores oportunidades pelos empregados domésticos.


Outra questão importante é a nossa estabilidade enquanto Programa Institucional na Escola, onde estamos nos organizando melhor, tendo periodicidade nas reuniões. Enquanto grupo CEMPA estamos muito coesos, passamos a elaborar nossos registros fotográficos, a relação professor-bolsistas-alunos está cada vez melhor. Esperamos que os desafios que estão por vir sejam superados com êxito e competência.

Postado por PIBID Sociologia UFBA
| terça-feira, agosto 19, 2014
  
Foi com um sentimento de satisfação que o PIBID retornou às atividades no Colégio Estadual Mestre Paulo dos Anjos. E a segunda atividade planejada pela equipe ocorreu no dia 06/08 e foi aplicada na turma do 3ºNA e 3ºNB. Como o tema da unidade é o do trabalho, as duplas decidiram que o recorte do tema seria sobre as relações de trabalho no ambiente doméstico.
Com efeito, o início dela ocorreu na semana anterior. O professor Thiago Neri passou para os estudantes em sala a reportagem veiculada no Portal G1, que mostrava o impasse entre o sindicato das babás e donas de casa de alto padrão em São Paulo[1]. As turmas leram o texto em sala e discutiram com o professor sobre o assunto e possibilitando assim um contato prévio com o tema que culminaria com a atividade seguinte.
Primeiramente, o 3ºNB se deslocou para o auditório, onde já esperávamos pela turma. A proposta era iniciar a atividade exibindo um trecho pré-selecionado de um episódio da minissérie Suburbia[2]. Porém enquanto os alunos assistiam, fomos informados que o auditório já estava reservado para outra professora, mesmo o professor Thiago tendo avisado previamente à coordenação. Então tivemos que nos deslocar ao final do vídeo, para a sala de aula e demos continuidade à atividade.
Lá pedimos aos estudantes que se dividissem em grupos e realizassem a seguinte tarefa: a partir do texto lido, do conteúdo já apresentado ao longo da unidade e do vídeo assistido, eles deveriam iniciar uma discussão sobre o tema se baseando em um roteiro de perguntas previamente formuladas pelo professor Thiago. Após um tempo de discussão, tanto o professor Thiago quanto a dupla de bolsistas Miguel e George fizeram perguntas baseadas no tema aos grupos.
Apesar de poucos alunos terem feito poucas intervenções, as mesmas tiveram muita profundidade no tema discutido. Muitos deles narraram conhecer pessoas que passaram pela mesma situação que a da menina do vídeo, ao mesmo tempo em que descreveram diversas palavras e conceitos relacionados ao tema. E quando a atividade já caminhava ao fim e o número de estudantes que participaram da discussão, a mesma teve que ser encerrada devido ao tempo de aula esgotado.
Mesmo o tempo tendo atuado novamente como o grande “vilão” da atividade, o que se pode destacar como positivo foi a colaboração da turma com atividade. Aqueles que optaram por não falar ou expor a opinião, assim mesmo participaram de todo o processo e discutiram em grupo. Alguns inclusive lamentaram que a atividade tivesse chegado ao fim. Pelo que foi visto até aqui, a parceria entre o PIBID e o Colégio Mestre Paulo dos Anjos tem tudo para ser de muito sucesso.

P.S: segue abaixo os links da reportagem e do episódio utilizados na atividade.

01/08/2014

Postado por PIBID Sociologia UFBA
| sexta-feira, agosto 01, 2014
RESULTADO DA SELEÇÃO DE BOLSISTAS 2014.2

Alunos selecionados para bolsa PIBID Sociologia :

1) Rithiane Almeida
2) Davi
3) Moisés

Pedimos aos alunos selecionados que reenviem os documentos requeridos no edital de seleção para o e-mail pibidsocioufba@gmail.com até o dia 05/08, incluindo no e-mail o telefone para contato imediato. 

Alunos selecionados como voluntários:

Andréia Boulhosa
Antônio Matheus
Bárbara Oliveira
João Caetano
Louise
Tamara Nonato
Thiago Araújo

Os alunos que tiverem o interesse de atuar como voluntários devem comparecer à Reunião Geral do PIBID Sociologia , no dia 11/08/2014 às 14 horas no auditório 1 do pátio Raul Seixas.

07/07/2014

Postado por PIBID Sociologia UFBA
| segunda-feira, julho 07, 2014
No dia 24/05 ocorreu a segunda atividade do Pibid em Sociologia no Colégio Estadual Odorico Tavares. O objetivo desta intervenção foi buscar, nas paisagens da cidade de Salvador, exemplos reais e cotidianos acerca dos efeitos e consequências da globalização – tema da primeira unidade.


A atividade contou com os(as) bolsistas Lícima Santos, Pedro Fragoso, Rômulo Santos e Taiala Águilan, contando ainda com a participação especial de George Hora, bolsista também do Pibid, o qual agradecemos o apoio e colaboração. Foram necessários cinco bolsistas para esta atividade visto que ela consistiu em um “trabalho de campo”, realizados nas áreas do Centro e da Barra.                     




Contando com sete turmas (3M1 a 3M7) para realização da atividade, foi necessária, por motivos de segurança e controle, a separação em dois grupos, equilibrando o número de estudantes. Assim, a atividade ocorreu em dois momentos, com circuitos diferentes. O primeiro das 8h30 às 10h, fazendo o circuito que vai do Corredor da Vitória (localização do colégio) ao Farol da Barra, e o segundo das 11h horas às 12h30, com destino do Corredor da Vitória à Praça da Piedade. 

No início de cada etapa da atividade a proposta foi reapresentada e esclarecida, no auditório do colégio. Com o recurso de slides, apresentamos aos alunos tutoriais de como realizar a ação. Esse tutorial foi desenvolvido pelos bolsistas e consistiu na escolha de fotos – que na visão de cada um deles – fossem carregadas de elementos que retomassem a discussão sobre efeitos e consequências da globalização. Neste aspecto, como exemplo didático, coube aos bolsistas também apresentar seus argumentos acerca de seus exemplos.

Com o primeiro grupo a atividade ocorreu bem, com os estudantes observando, tirando dúvidas e registrando as imagens que julgavam pertinentes com o tema proposto. Ao final da atividade os estudantes foram liberados no Farol da Barra. Na segunda turma, a atividade ocorreu da mesma forma em seu início com o tutorial e com os exemplos dos bolsistas. Em seguida, os estudantes foram acompanhados para o segundo trajeto pensado. Do mesmo modo da primeira turma de estudantes, eles foram tirando mais dúvidas referentes a atividade e fotografando o que achavam relevante em todo o caminho.


As imagens registradas pelos alunos traziam consigo elementos como diversidade cultural, multinacionais e suas franquias, tecnologias, desigualdades sociais dentre outras, que, juntamente com as argumentações elaboradas, foram postadas em um grupo das turmas no Facebook, criado pelo professor Cícero. Os estudantes demonstraram coerência em suas percepções com o tema, ao serem questionados sobre os fundamentos e elementos da globalização e das desigualdades sociais presentes em suas escolhas.

Alcançamos uma resposta positiva da maioria dos alunos, que buscaram estar presente de forma efetiva na atividade, fazendo reflexões pertinentes sobre o tema. Mais ainda, a aplicação do conhecimento aprendido em sala em uma atividade de campo se mostrou frutífera, ao demonstrar possibilidades de aplicação prática dos conhecimentos de Sociologia na vida prática dos alunos. Em suma, esta atividade permitiu aos bolsistas do Pibid a reflexão sobre como diferentes formas para o ensino, se bem empregadas, podem vir a ser produtivas e eficazes, sobretudo em um contexto de aprendizado mútuo.

09/06/2014

Postado por PIBID Sociologia UFBA
| segunda-feira, junho 09, 2014
No dia 03/06/2014 as bolsistas Patrícia, Marineide e Rosângela deram continuidade ao estudo do conteúdo das Identidades Sociais e trabalharam com a turma B do Eixo VI no turno noturno do colégio ICEIA. O fio condutor da atividade foi a questão das Cotas Étnico-Raciais, um assunto demandado pela turma desde que se iniciou um intenso debate na última intervenção do PIBID . Com a retomada dos conteúdos da intervenção anterior aliados a apresentação de novos conhecimentos as bolsistas objetivaram tornar acessível o conceito de Ações Afirmativas, utilizando-se para isso da exposição oral e da escuta sensível à opinião dos estudantes. A história do conceito de cotas raciais, desde o seu nascimento nos EUA até sua implementação no Brasil, e a luta pelos direitos civis nos EUA foi abordadas. O contexto da emblemática fotografia abaixo ,da estudante americana  Dorothy Counts,  foi bastante ilustrativo para falar do ódio racial na América e das consequências da perpetuação deste tipo de atitude cultural.

Dorothy Counts

Não obstante a centralidade da temática racial, as bolsistas procuraram tornar evidente a interseccionalidade que acompanha o assunto, desta forma colocando questões de classe, gênero e sexualidade em conexão direta com o tópico. Não apenas a origem do conceito de Ações Afirmativas foi abordada, mas seu impacto social foi posto em discussão, tanto no que tange à inclusão social de grupos minoritários quanto por seu efeito na alteração do status quo . Também como ferramenta ilustrativa foram utilizados dados do Governo Federal acerca do desempenho universitário dos beneficiados das políticas de cotas, desconstruindo-se possíveis preconceitos sobre estudantes cotistas. Por fim, a abertura para o diálogo possibilitou depoimentos de estudantes que se auto identificam como negras sinalizando a insistente presença do racismo nas suas vidas cotidianas e nas esferas institucionais.


A bolsista Patrícia e as estudantes do Eixo VI turma B